3º Quem dá o primeiro passo

3º Quem dá o primeiro passo

Se estiveste a acompanhar os artigos dos últimos dois dias em que falei da queixa mais frequente dos homens em relação às mulheres e da queixa mais frequente das mulheres em relação aos homens, hoje teremos o 3º e último capítulo da saga 😊

Se ainda não leste estes artigos de que estou a falar e o tema dos relacionamentos te interessa, vai ao meu perfil e procura o artigo que escrevi na quarta-feira e o artigo que escrevi ontem. São super fáceis de encontrar e depois podes voltar a este 😉

Então, se estiveste a acompanhar as queixas mais frequentes dos homens e das mulheres em relação uns aos outros, e se estiveste com atenção, pode ser que tenhas reparado que na verdade, as queixas de uns e de outros se alimentam mutuamente.

Quanto mais chatas as mulheres são, mais os homens desligam e se tornam distantes e indiferentes. Tal como uma criança com quem estamos sempre a ralhar, chega a um momento em que ela simplesmente começa a ignorar os sermões. Ao contrário de uma criança com quem raramente se ralha que, quando acontece, leva o sermão super a sério. Por isso, quanto mais chatas as mulheres são, mais alimentam o padrão de “não presença” nos homens.

Depois, quanto mais distantes e indiferentes os homens são, mais chatas as mulheres se tornam. Mais uma vez, tal como uma criança que quer atenção, se não recebe essa atenção de forma positiva, vai começar a chamar à atenção de forma negativa. Vai começar a fazer asneiras, a partir tudo, a fazer birras, apenas porque precisa de atenção. Por isso, quanto mais os homens são indiferentes em relação aos temas, preocupações e emoções das suas mulheres, mais alimentam o padrão da “chata” nas mulheres.

Cada um destes comportamentos alimenta o comportamento oposto e é impossível de perceber qual é que começou primeiro, qual é que foi o comportamento “culpado”. Apesar de muitos de nós nos esforçarmos incessantemente para dizer que foi o comportamento do outro de começou isto tudo, será que temos mesmo a certeza do que veio primeiro? O ovo ou a galinha? O indiferente ou a chata?

Eu não sei, sinceramente. E mesmo que tu estejas convencid@ que sabes, o mais importante não é quem começou isto tudo, mas sim, quem vai acabar.

Há uma pessoa que vai ter o poder, a capacidade e a inteligência de interromper este ciclo.

Uma frase que costumo dizer aos meus clientes é que: “Quem tem maior nível de consciência, tem mais responsabilidade e tenho a certeza que só por estares aqui à minha frente neste momento numa sessão de coaching, essa pessoa és tu.”

Tu não estás à minha frente numa sessão de coaching, mas és tu que estás a ler isto. És tu que provavelmente tiveste a trabalheira de ler os outros 2 artigos. Por isso, vou correr o leve risco de dizer que muito provavelmente és tu a pessoa que tem maior nível de consciência. Logo, és tu que tens mais responsabilidade e és tu que podes conseguir cortar o elo que une esse círculo vicioso.

Eu sei que muitas vezes ficamos enleados na mágoa, ou apenas no correr das coisas. Mas cada um de nós tem a chave para interromper qualquer padrão. Não vais conseguir sempre, não vai ser sempre fácil, mas com treino tenho a certeza que é possível. E mesmo que não resulte, mais vale saberes já.

Por isso, alguém tem de ter a coragem de ser o elemento que muda o rumo das coisas. E eu sei que esse elemento podes ser tu.

Eu acredito que o amor vale a pena. E eu acredito em ti.

Just take the first step.

Obrigada de coração se chegaste até aqui e acompanhaste esta saga de 3 dias 🙏😽 Bom fim de semana!

Com amor, Jo 💙