Medo que saibam sobre aquele meu defeito

Medo que saibam sobre aquele meu defeito

Tu tens um segredo.

Há algo que tu sabes ou pensas que és e que tens pavor que seja revelado. Todos os dias te esforças ferozmente para esconder esse lado que abominas em ti. Será que alguém vai ver? Será que alguém vai perceber?

Desta batalha interna surge o medo de ser criticado, de ser julgado, o medo daquilo que vão pensar de mim se eu mudar, se eu me expuser, se eu fizer diferente daquilo que eles defendem. Quando receamos aquilo que vão pensar ou dizer de nós, estamos apenas a revelar o medo avassalador de que alguém veja e saiba aquilo que nos esforçamos todos os dias para fingir que não somos.

Se tenho medo que pensem que sou incompetente, ou maluca, ou fraca, ou má pessoa, é porque eu, algures dentro de mim, acredito que sou incompetente, ou maluca, ou fraca, ou má pessoa. Em Coaching Profundo (Depth Coaching) chamamos a isto as nossas mentiras primárias.

Achamos que temos determinado atributo que consideramos inadmissível e por isso, tentamos com todas as nossas forças escondê-lo do coletivo. E então, tenho pavor que alguém veja, que alguém descubra o meu segredo que tanto me esforço para colocar dentro do armário. Mas essa solução apenas irá perpetuar a minha insegurança em relação a esse atributo. Quanto mais o escondo, mais ele me assombra nos momentos de insegurança, nos momentos de desconexão, nos momentos determinantes em que preciso de me superar.

A solução não poderá passar por deixar esses atributos na escuridão e fingir que não os temos. A solução passa por trazê-los à superfície para que sejam iluminados e passar a conhecê-los de trás para a frente até se tornarem óbvios para nós. Por isso, assim como há umas semanas te disse para focares e dares energia às tuas qualidade, também é importante seres um especialista nos atributos que não gostas em ti. Isso não quer dizer que é aí que deves colocar a tua energia, mas deves conhecer intimamente todos os teus atributos, bons e maus. Conhecê-los em profundidade para te conheceres a ti mesmo em profundidade.

Se eu me tornar perito nessas características minhas, nas características que abomino, se as souber de cor e as assumir, o medo de ser apanhado em flagrante desaparece. Nesse momento, se alguém me diz que fui incompetente, ou maluca, ou fraca, ou má , não me sinto exposta. Passa apenas a ser uma constatação de algo que eu sei sobre mim e do qual deixei de ter receio de admitir. Essa constatação perde todo o seu poder sobre mim.

Por isso, essa coisa que tens medo que todos saibam sobre ti, fala sobre ela, escreve sobre ela, conta a alguém sobre como ela existe em ti, conhece-a, percebe como te ajuda por vezes noutros contextos de vida, desvenda os momentos em que te dá muito jeito seres mesmo assim. Torna-te um especialista em ti.

E depois, como os americanos dizem: “Let’s talk about the elephant in the room” Que quer dizer: Vamos falar da coisa óbvia que aqui está, que toda a gente está a ver, mas que ninguém comenta.

Quando alguém te acusar de ser alguma coisa que abominas, só tens de dizer: “Eu sei! E nem imaginas, ainda sou pior que isso.” E ainda vais mais longe … contas algum episódio em que ainda foste mais incompetente do que a situação em causa, ou ainda mais maluco, ou ainda mais fraco, ou ainda mais má pessoa.

De repente ninguém tem mais armas contra ti.
Nem elas, nem tu e, mais importante que tudo, nem o teu medo de seres exposto. Estás livre para seres como és.

E, sim, estás livre para te melhorar também, se assim o desejares. Mas isso … isso fica para outro post 

Let’s talk about the elephants?

Jo 💙