O meu desejo para 2019

O meu desejo para 2019

Este foi o ano em que dei mais sessões de coaching sobre a área do Romance a homens e mulheres empenhados em encontrar um amor que seja bom para eles ou empenhados em fazer da sua relação atual tudo aquilo que desejam.

Adorei, por vários motivos, mas principalmente porque há uns anos atrás tive finalmente a coragem de admitir para mim mesma que esta é a área de vida mais importante para mim. A área do Amor Romântico. Sem amar e ser amada não sinto que esteja cá a fazer nada. Esse é o verdadeiro sentido da minha vida.

Outras pessoas precisam de ter filhos para sentir isso, outras precisam de ter carreiras de sucesso, outras precisam de ganhar muito dinheiro, outras de estar em excelente forma física. Eu preciso de estar realizada no Amor. E, por isso, ajudar outras pessoas a fazer o mesmo é a concretização de mais um propósito de vida. Am I lucky or what? 😄

Ao longo destes meses percebi uma coisa muito relevante sobre os homens e mulheres que não conseguiram ainda encontrar realização no amor (apesar de o desejarem imensamente). Percebi que muitos homens e mulheres sentem a necessidade instintiva de se proteger relativamente ao outro. O seu corpo e psique soltam sinais de alerta ensurdecedores assim que vislumbram a possibilidade de se abrir intimamente para outro ser humano. Esse é o momento em que fogem (afastam-se da pessoa), atacam (começam a ver defeitos em todos os pormenores), ou congelam (não sabem o que fazer e ficam apáticos). As típicas reações ao perigo.

As mulheres sentem que precisam de temer os homens porque eles vão usá-las, abandoná-las, traí-las.
Os homens sentem que precisam de temer as mulheres porque elas vão castrá-los, diminuí-los, culpá-los.

(eu sei que é uma generalização, nem todas as mulheres e homens que estão a viver dificuldades nesta área têm estes receios específicos, mas tenta ultrapassar os EXEMPLOS e focar-te na mensagem de base deste post, pode ser?)

Ora, quando neste registo de defesa, quando nesta atitude de proteção, o jogo passa a ser outro. Deixamos de jogar o jogo do amor e passamos a jogar o jogo do poder. E onde o foco é o poder, não pode haver amor.

Quando precisamos de nos sentir superiores ao outro para garantir que não ficamos sem chão, sem norte, sem estrutura, perdemos a verdadeira oportunidade de amar. Porque amar é precisamente isso, perder o chão, perder o norte, perder a estrutura. E depois … depois de mergulhar na alma do outro … reencontrar esse chão, esse norte, essa estrutura, lado a lado, com o ser humano que escolhemos para viver a vida connosco.

Possivelmente estás a perguntar-te: “Mas e se os meus receios forem verdadeiros e a outra pessoa realmente me magoar da forma que temo?”

A resposta que tenho para te dar é que o sofrimento é inevitável, mesmo no amor. Gostava de ter melhores notícias para te dar, mas não tenho.

Uma genuína relação de amor serve para te fazer ainda mais feliz e para contribuir para o teu desenvolvimento como ser humano. E esse desenvolvimento muitas vezes dói e muito. É assim mesmo. Não há nada a fazer.

Aceitares isso é o princípio fundamental para te disponibilizares para amar e ser amado, genuinamente, por outro ser humano. Esse verdadeiro perigo que corres ao abrires a tua alma para o outro é o que torna o amor tão empolgante. E sim, às vezes vais ser magoado.

Posso dizer-te que as melhores emoções que sinto na minha vida são vividas na minha relação. Mas também tenho de te dizer que algumas das emoções mais dolorosas que sinto na minha vida também são vividas na minha relação. Depois é tudo uma questão de racios. Se as coisas boas que sentes são muito superiores em número e intensidade às coisas menos boas, então é potencialmente uma relação que vale a pena. Acreditar que no amor só há emoções positivas, ou que assim é como deveria ser, é uma utopia.

O amor não é necessariamente fácil. Poucas coisas na vida, que valham verdadeiramente a pena, são fáceis.

Por isso, para ajudar os meus clientes a baixar as armas relativamente ao outro e a tranquilizar os seus mecanismos de defesa, para que dêem a si mesmos uma verdadeira oportunidade de viver amor, sugiro sempre este truque:

Lembra-te que a outra pessoa está, certamente, tão partida como tu. A outra pessoa, a quem estás a pensar entregar-te, está provavelmente com receios muito semelhantes aos teus. Também ela já foi magoada, abandonada, humilhada, traída. Sente a dor dela, tal como sentiste a tua. Também ela está a arriscar muito ao abrir o seu coração para ti. Por isso, sugiro sempre: Deixa de te focar nos teus medos, nem que seja só durante um tempo. Deixa de te focar em ti mesmo e começa a focar-te no ser humano que tens à tua frente e mostra-lhe que só estás lá para o amar. Se for uma relação que valha realmente a pena, será uma questão de pouco tempo para que ele comece a fazer o mesmo contigo.

A vida é mesmo, mesmo, mesmo muito longa. Se tudo correr como é suposto, ainda vais cá andar muito tempo. Décadas e décadas. Acredita, que vai ser muito melhor fazeres esta viagem ao lado de alguém que amas e que te ama de volta. E para que isso aconteça, vais ter de encontrar a coragem de viver todas as emoções que o amor te vai trazer. Boas e más.

Por tudo isto que hoje te escrevo,
Por tudo isto em que acredito,
Para o próximo ano,
Se puder desejar-te
Apenas
Uma
Única
Coisa …

Desejo-te que ames.

Jo 💝