O herói nem sempre é quem tu pensavas

O herói nem sempre é quem tu pensavas

[Spoiler Alert] ⚠️

Uma das coisas que estou a adorar na série Game of Thrones é que só se percebe bem adiantado na série quem vai ser o herói. Confesso que só vi a série este ano, mas fiquei rendida e vi as 7 temporadas seguidas em poucas semanas. Adoro quando isso me acontece. Infelizmente só teremos a última temporada em Abril do próximo ano, mas acredito que vai valer a pena a espera.

Bom, voltando à minha filosofia televisiva ?

Foi super giro viver grande parte da série sem perceber exatamente qual das personagens iria transformar-se na heroína ou no herói.

Na maior parte das aventuras a que assisto, fica muito claro logo à partida qual das personagens vai representar o papel de salvador e viver a jornada necessária para concretizar esse grande feito. Depois disso resta-nos esperar que a jornada seja criativa o suficiente, com todas as suas provas, para que nos consigamos manter interessados no caminho que o herói vai percorrer.

Nesta série não foi assim. Quando começava a achar que as coisas estavam a correr numa direção, a trama mudava de sentido e outra personagem começava a ocupar o lugar de destaque. Aconteceu várias vezes e não ficarei surpreendida se na última temporada voltarem a trocar-nos as voltas.

Se pensarmos que cada personagem de um filme pode representar metaforicamente diferentes atributos da nossa psique, estamos abertos a fazer análises muito interessantes.

Também na nossa vida nos convencemos de que determinado atributo nosso (ou personagem) representa o herói. Acreditamos que essa característica nossa é que vai ser o salvador da pátria. Acreditamos que esse nosso atributo nos vai levar para onde queremos ir. Achamos que é uma determinada parte de nós que nos vai conseguir levar a sobreviver às provações necessárias para nos tornarmos vencedores das nossas próprias vidas.

Mas a vida às vezes mostra que é diferente. A vida tem este jeito de nos colocar em situações especiais que nos obrigam a ir buscar recursos que nunca pensámos que iríamos precisar ou, sequer, iríamos ter a capacidade de desenvolver.

Já te aconteceu acreditares piamente numa das tuas características mais profundas e achares que essa é a maneira correta de ser e um dia, quando menos esperas, a única forma de evoluires em algum contexto é seres exatamente o oposto disso?

A mim já me aconteceu.

Já te aconteceu achares que deves ser amoroso e dócil e em algum momento foi a parte agressiva de ti que te salvou?

Já te aconteceu acreditares piamente que deves pensar primeiro nos outros e, por algum motivo, há um dia em que pensar primeiro em ti e seres mais egoísta é a resposta certa?

Já te aconteceu perceberes que aquilo que acreditavas ser a tua maior virtude se torna, por algum motivo, no teu maior entrave? E vice-versa … o teu maior defeito tornar-se na tua qualidade mais importante num determinado contexto?

Pois a vida tem esta capacidade de te tirar o tapete e mostrar que as certezas que tinhas de nada te servem porque a cada momento há um herói perfeito para cada situação.

E a melhor parte é esta … não saber qual é o herói a cada passo desta jornada que é a vida e ser surpreendido por ela.

Por isso gostei tanto desta série, porque me relembrou de que na vida nada é previsível. A única certeza que temos é a de que vai haver uma jornada (ou várias) e dentro de nós há sempre um herói à nossa disposição.

Só não sabemos qual 🙂

Tem um dia bonito!

Jo ♥