Crenças Inconscientes

Crenças Inconscientes

Crenças … muito se fala delas.
Fala-se das possibilitadoras.
Fala-se das limitadoras.
Mas não se fala muito das inconscientes. Talvez por isso mesmo, porque são inconscientes.

Estou a falar daquelas coisas que nós achamos que NÃO acreditamos. Conscientemente achamos absurdo. Mas cá dentro, escondidinho algures nos confins das diferentes personagens que nos habitam, existe uma (pelo menos) que acredita nessa coisa absurda.

Pode ser que acredite que um determinado grupo étnico ou social não é de confiança.
Pode ser que acredite que sem um homem não consegue ter abundância financeira.
Pode ser que acredite que sem uma relação nunca vai ser feliz.
Pode ser que acredite que quem divulga o seu trabalho e vende os seus serviços está a enganar as pessoas.

Pode ser um sem número de coisas.
Todas elas absurdas, mas apenas conscientemente. Porque inconscientemente, a parte de ti que acredita nessas coisas, acha que fazem todo o sentido. E por isso começa a agir sem o teu consentimento. Essa parte está a manipular tudo. Está a sabotar tudo. Pelas tuas costas. E tu nem dás por isso.

Há coisas em que tu acreditas, sem saber que acreditas. E quando numa conversa com um amigo, uma reflexão junto do teu caderno ou numa sessão de coaching chegas à conclusão que essa parte de ti existe, sentes vergonha.

Não consegues aceitar que acreditas nessa coisa absurda. Mas a verdade é que acreditas. Tens dificuldade em dizer que acreditas, porque não és toda tu que acreditas nisto, mas apenas uma fração de ti. Mas essa fração anda com um poder do caraças.

Quando andas há meses, anos ou décadas a arrastar o mesmo tema, o mesmo problema, o mesmo sonho por realizar é possível que andes também a arrastar umas quantas destas crenças inconscientes.

A tua missão: descobrir quais são.

Como fazer isto?
1) coloca-te em causa. Se ainda não tens ou não és o que queres, é (principalmente) porque ainda não fizeste acontecer.
2) Partindo desse ponto não desistas de te questionar. De te perguntar. De conversar sobre o tema. De refletir sobre o tema. De estudar sobre o tema. Não pares. Nunca!!!
3) Quando a crença inconsciente absurda em que acreditas surgir (o que pode demorar muito ou pouco consoante a tua entrega ao ponto 2), não a largues mais até a desmistificares, resignificares, alterares, dizimares.

O teu trabalho vai ser encontrar prova atrás de prova de que essa crença (agora consciente) é absurda. É nesse local que essa personagem interna relaxa. Ela não vai relaxar enquanto não admitires para ti mesmo que tu também acreditas nisso (ou pelo menos essa parte de ti acredita). Quando admites e trabalhas nessa crença, ela fica finalmente convencida que se calhar até estava a exagerar. E deixa de te lixar a vida toda nessa área.

Estou a passar por isso agora. E está a ser giro. Algo esquizofrénico 😆, mas giro.

Tem um lindo dia, cheio de revelações.

Jo 💙