Ser um exemplo

Ser um exemplo

Só esta semana ouvi duas clientes (pessoas incríveis, inteligentes, bonitas, dedicadas, que trabalham como coaches e a passar uma fase difícil das suas vidas), a dizer:
“Não me sinto coerente. Estou a tentar ajudar as pessoas e eu estou assim. Sinto-me uma fraude”

Como eu as percebi!
Já disse muitas vezes essa frase a mim mesma. É realmente muito complicado trabalhar como coach sem colocar em cima de nós mesmos a responsabilidade de ser um exemplo para as nossas pessoas.

Mas depois de tantos anos a trabalhar como coach, vou dizer-te o que aprendi com os meus próprios pântanos.

Ser um exemplo não significa ser perfeito. Não significa fazer tudo certo, sempre, com toda a gente. Não significa ter sempre a capacidade de ver o lado positivo. Não significa ser sempre harmonioso e simpático e equilibrado e bonitinho e penteadinho. Não significa que é tudo fácil e simples para ti. Não significa que não podes cometer erros, falhar contigo mesmo e com as outras pessoas. Não significa que não tens temas que te são especialmente difíceis. Não significa que consegues sempre mudar o teu estado emocional num estalar de dedos. Não significa que consegues o que queres com o poder da mente. Não significa que estás sempre feliz, porque a felicidade é uma escolha e tal e coiso.

Dizer aos nossos clientes que conseguimos ser sempre assim, é mentir-lhes. E pior que tudo, é mentir a nós mesmos.

Ser um exemplo é passar de forma profunda, lúcida e consciente pelos nossos processos tal como sugerimos aos nossos clientes que eles façam com os deles. Com todas as dores e alegrias que isso implica. Só isso. Esta é a minha visão.

Isso significa que tu não és coerente apesar das tuas fases difíceis. Tu és coerente precisamente POR CAUSA das tuas fases difíceis. É por causa delas que vais conseguir compreender verdadeiramente o drama humano e realmente ajudar as pessoas a perceberem o delas.

Aliás, ousaria dizer que se um dia criasse uma certificação de coaching tradicional, a fase de estágio seria passar por uma noite escura da alma, assim:
“Querido futuro coach. Para se certificar na escola da Joana terá de fazer as seguintes tarefas:
1) fazer o curso
2) praticar e estudar muito, muito, muito … muito.
3) chafurdar uns 6 meses num tema difícil à sua escolha.
Depois destas 3 etapas estará preparado para ajudar muitas pessoas pelo mundo fora. Parabéns🤣🤣

A minha proposta é que encares as tuas fases difíceis como uma ferramenta fundamental para te tornares ainda melhor profissional, pai, mãe, amigo/a, namorado/a, e principalmente, melhor ser humano. E depois, se quiseres, colocares as tuas aprendizagens ao serviço do mundo. Isso, então, seria a cereja no topo do pântano.

Confesso que estou ansiosa para saber o que vais trazer contigo da tua noite escura. Mas até lá, tem um dia bonito.

Jo 💙