Será que és quem pensas que és?

Será que és quem pensas que és?

Todos nós achamos que somos o Bom Samaritano.

Nas últimas semanas assisti à série Daredevil. Está bastante bem feita, mas principalmente adorei a luta filosófica entre o herói e o vilão e a luta interna de cada um deles com os seus próprios demónios. Essa parte foi realmente fascinante e bastante mais explorada do que o que vejo habitualmente a acontecer nos filmes e séries de super heróis. Recomendo!

Mas hoje gostava de te falar de uma cena específica que me marcou profundamente.

No meio das 3 temporadas há um momento em que o vilão da série faz um discurso incrível.

Ele conta uma história da bíblia (a Parábola do Bom Samaritano, contada por Jesus segundo o Evangelho de São Lucas). Esta parábola conta a história de um viajante que foi atacado por ladrões que o despojaram de tudo o que possuía e o deixaram agredido e a sangrar no chão. Mais tarde passa um padre que vê o viajante caído no chão. O padre passa para o outro lado da estrada, ignorando o viajante caído no chão, e continua o seu caminho. Depois passa um Levita e faz o mesmo, passa para o outro lado da estrada e continua o seu caminho. Finalmente, passa outro homem, um bom samaritano que ajuda o viajante, carrega-o, cura as suas feridas e dá-lhe todas as suas posses.

Depois de contar esta parábola da bíblia, o vilão da série diz algo fascinante. Diz que sempre que leu essa história se imaginou como o bom samaritano. Sempre achou quer era o bom da fita. Mas afinal, não.

Nesse momento o vilão percebe que não é o bom samaritano, não é o padre e nem sequer é o levita. Nesse momento o vilão percebe que, afinal de contas, ele representa o ladrão que agrediu o viajante e o deixou caído na beira da estrada para morrer.

Achei lindo! O vilão estava completamente convencido de que tudo o que estava a fazer era para o bem das pessoas, da cidade. Ele acreditava que era o bom, o herói.

Isto mexeu comigo e deixou-me a pensar. Quantas vezes não estaremos convencidos de que somos o bom samaritano, o herói, mas na verdade somos o mau da fita? Quantas vezes não ficamos chocados com a atitude de alguém, nunca colocando a hipótese de que, se calhar, essa pessoa está convencida de que está a fazer o bem? E pior de tudo, o que é o Bem, afinal? Todos julgamos saber. Mas será que sabemos mesmo?

Ontem falei-te de que percebi que tenho ângulos mortos e que não tenho sempre consciência de quem estou a ser em cada área de vida. Aqui fica a consciência mais importante: Será que estás a ser o herói, ou será que estás a ser o vilão?

Vou ficar a pensar nisto.

Tem um dia bonito!
Jo 💙