Quando deixas de acreditar em quase tudo

Quando deixas de acreditar em quase tudo

Uma das grandes vantagens de estar há mais de um ano numa espécie de crise existencial é perceber que quando se deixa de acreditar em quase tudo, sobra muito pouco. Mas aquilo que sobra é realmente estrutural.

Funciona como uma limpeza profunda dos armários lá de casa. Andas meses ou anos a adiar porque nem consegues conceber por onde vais começar. Imaginas a jornada que te espera e pensas que precisas de muito tempo e energia e esse dia demora a chegar. Mas quando chega, decides mergulhar nos confins dos objetos perdidos e de todas as coisas que um dia achaste que irias precisar, mas que na verdade te esqueceste que tinhas.

Nesse armário cheio encontras de tudo. Memórias escondidas, ambições perdidas, sonhos realizados, amores de verão e também de inverno, crenças muito fortes que te guiaram até aqui e … no final de tudo … os pilares que te definiram como pessoa. Um por um são colocados em causa.

“Será que eu preciso mesmo disto na minha vida?”
“Será que isto é quem eu realmente sou e me representa?”
“Porque é que alguma vez acreditei/precisei disto?”
E depois … o temido: “Será que era tudo mentira?”

Vais retirando peça a peça, objeto a objeto. De um lado colocas os que são para ficar. Do outro lado os que são para largar. E chegas à interessante conclusão de que está a sobrar muito pouco. Há muito pouca coisa que sobrevive ao escrutínio de uma crise existencial.

Dás uma última olhadela às coisas que mantiveste contigo e cuidadosamente voltas a colocá-las no mesmo armário ou a algumas decides mesmo dar um novo destaque e colocar no centro da mesa de jantar.

O que sobra são os valores que mais te representam neste momento da tua vida. Muito se fala de valores na minha área profissional, muitos são os exercícios que propomos aos nossos clientes e alunos para que os descubram. Mas nada nos ajuda a perceber o que é realmente valorizado por nós como uma grande perda. Nomeadamente a perda de fé.

Sobra muito pouco quando deixas de acreditar em quase tudo, mas o que sobra é aquilo que tem a capacidade de te dizer que ainda vale a pena estar vivo.

Jo ♥